Tendências tecnológicas: o que esperar de 2018

LinkedIn0FacebookTwitterGoogle 0Por João Moreira, PCA da Ábaco-Consultores Com o ano a arrancar, é tempo de pensarmos no que

0
0

Por João Moreira, PCA da Ábaco-Consultores

Com o ano a arrancar, é tempo de pensarmos no que já foi desenvolvido e observarmos com mais atenção o que nos espera, realmente, 2018. A tecnologia nunca teve um papel tão determinante na vida das organizações e dos indivíduos como atualmente e essa apropriação está, de facto, a transformar os modelos de negócio, a alterar as preferências e as ferramentas de suporte à atividade das empresas.

2017 foi um ano que ficou marcado por um conjunto de estratégias e políticas bastante relacionadas com a transformação digital, mais concretamente, com os conceitos de IoT, cloud, big data, inteligência artificial e outras tecnologias e suportes de base digital.

Mas… E em 2018? Quais serão as novas tendências? Serão novas? Ou será apenas um aprofundamento das atuais? Digamos que poderão ser ambas. Ou seja, na prática, a realidade não será muito diferente daquela que já vivemos nos dias de hoje, mas, por outro lado, também surgirão, naturalmente, novos conceitos tecnológicos, sendo que muitos deles já começam a ganhar forma, atualmente.

Estas tendências tecnológicas estão, deste modo intrinsecamente ligadas ao desenvolvimento económico e, consequentemente, impactam o dia-a-dia de qualquer organização, ao impulsionarem a criação de novas metodologias de trabalho. Exemplo disso, é o facto de cada vez mais ser possível ir mais longe nas previsões, detetar tendências mais cedo, analisar os seus impactos e consequências quase em tempo real, medir padrões, parâmetros, preferências, ou criar experiências memoráveis. De facto, o suporte para muitas destas novas oportunidades está num conjunto de tecnologias que começam a estar presentes em todos os domínios da nossa vida, com a Inteligência Artificial (IA) a ocupar o lugar de destaque.

Por outro lado, a Internet das Coisas (IoT), a Cloud ou a Mobilidade são termos que certamente não lhe são estranhos e que vêm desempenhar um papel fundamental nas empresas, nomeadamente o da desmaterialização. Há, desta forma, claros benefícios para as empresas como o aumento da produtividade, eficiência e o do número de tarefas executadas por cada colaborador. As tendências tecnológicas são, portanto, um fator de enorme peso na estratégia de qualquer organização.

Não estamos, contudo, a mencionar a base desta evolução: o digital, uma realidade que atualmente é o centro do crescimento organizacional. O digital veio e vem abrir inúmeras possibilidades a qualquer organização e uma das principais e mais importantes tendências para este novo ano são os sistemas de gestão empresarial (ERP). Mas não estamos a falar dos ERP tradicionais. Com o passar dos anos, bem como com a rápida evolução tecnológica, estes sistemas tornaram-se desatualizados e, como tal, deram, agora, lugar aos novos ERP, suportados num conceito de maior inteligência e, no qual são reforçadas as mais-valias para o utilizador.

Numa altura de constante transformação digital, cabe aos CIOs das organizações nacionais procurar e adotar este tipo de oferta, uma vez que nas grandes tendências para este ano, destacamos o mercado dos ERP no qual existe a necessidade de se dispor de um sistema “mais inteligente” e com maior “capacidade analítica”.

Quando mencionamos sistemas mais inteligentes – ou os chamados novos i-ERP, estamos a referirmo-nos àquilo que de mais recente existe em tecnologia ao nível dos ERP e onde se integram novas funcionalidades, como tecnologia cognitiva, comunicação “machine-to-machine“, capacidades colaborativas ou associação à Cloud.

Desta forma, o ERP na cloud passou também a ser uma realidade, no qual está aliado a um conjunto de vantagens que poderão fazer toda diferença. Por exemplo, este tipo de sistemas permite dispor de um maior número de fontes de informação, o que acaba por se tornar numa poderosa fonte de análise para as operações de negócio, garantindo assim previsões mais corretas e focadas.

Do mesmo modo, a maior integração com soluções cloud based é uma tendência dos ERP atuais, uma vez que se trata de sistemas que garantem uma melhor gestão ao nível do capital humano e do relacionamento com o cliente. Sistemas esses que, em última análise são uma mais-valia clara para o negócio e, consequentemente, para a melhoria dos seus resultados.

Importa salientar, que a Cloud tem inúmeras vantagens e, num ambiente empresarial, separaríamos as infinitas possibilidades que oferece a qualquer empresa ao nível do armazenamento. Esta tendência tecnológica vem assim possibilitar às organizações uma substancial redução dos custos, no entanto, aliada a uma segurança que estas entidades não conseguem garantir. Através desta tecnologia, as empresas passam a ter armazenamento quase ilimitado e uma robustez sem paralelo.

A Cloud proporciona ainda a existência de uma nova realidade no ambiente empresarial que é a Mobilidade. Esta tendência tecnológica, cada vez mais relevante a nível mundial, vem revolucionar o posto de trabalho já que permite que não haja uma obrigatoriedade de ter um posto fixo proporcionando um aumento da produtividade e disponibilidade dos colaboradores.

E a sua organização? Já aderiu às novas tendências tecnológicas?

Publicado originalmente na Exame Informática: http://leitor.exameinformatica.pt/#library/exameinformatica/26-01-2018/edicao-49/opiniao/tendencias-tecnologicas-o-que-esperar-de-2018

Leave a Comment

Subscribe!